Cadastre-se Entrar
   
                                                     Nós fazemos por você !
Tudo tem seu tempo
Ainda mais nos momentos de crise, o tempo está tão valorizado que os gestores cobram cada minuto improdutivo de seus subordinados.
Luciano Muchiotti Saiba mais
Tempo, essa palavra a cada dia tem ganhado mais importância. Falar em aproveitamento de tempo então, nem me fale.

Ainda mais nos momentos de crise, o tempo está tão valorizado que os gestores cobram cada minuto improdutivo de seus subordinados.

Cada levantada da mesa que o funcionário pratica, também levanta o olhar do gestor. Será que precisa de tudo isso mesmo? Sou muito questionador das atitudes e ações que são praticadas nas empresas. Fica a impressão que estão todos com certa dificuldade em fazer a gestão dos seus subordinados e consequentemente do tempo deles.

Na realidade o que ocorre é um corre-corre em busca de praticar a entrega esperada, sem sofrer algum dano por isso. E para ajudar, no momento de crise uma das primeiras ações que as empresas buscam é realizar cortes.

Esse corte chega ao quadro de funcionários, e as pessoas começam a absorver mais e mais tarefas, pois o colega saiu e suas atividades foram distribuídas entre os colegas do time.

Desta forma, aumentam as atividades diárias do funcionário e cobram ainda mais o aproveitamento do tempo. Não é nada fácil se adaptar a esse novo modelo.

Adaptação é um processo relativamente complexo, de modo que um funcionário se adapta melhor e mais rápido e outros precisam de um tempo maior. Há casos em que não há adaptação, e a saída da empresa é certo.

E neste processo todo, um gestor cobra demais e outro de menos. O funcionário fica sem saber para onde ir, e como fazer.

Uma coisa precisa ficar bem claro para todos, cada um tem seu tempo para tudo na vida. Seja na vida profissional ou pessoal, o tempo é um fator muito relativo.

Fala-se em maturação profissional ou pessoal, e as pessoas amadurecem mais cedo ou mais tarde conforme um conjunto muito peculiar de situações, conceitos, estilos de vida, maneira como foram criadas, etc.

O que precisa ficar claro é que esse período nem sempre é respeitado e na primeira oportunidade, se há entendimento que o funcionário não vai se adaptar, logo é demitido.

Uso o termo respeito, pois de certa forma as pessoas não tem culpa, amadurecer mais cedo ou mais tarde não importa muito, mas sim acreditar e dar apoio para que isso ocorra. Infelizmente as empresas não pensam assim, pelo menos uma boa parte, e a demissão é algo inevitável.

E por falar em tempo, pelo jeito as empresas estão sem tempo para dar esse tempo para que os funcionários se adaptem. Infelizmente também a palavra crise assunta cada empresa de uma forma, e o corte acontece.

Penso que seria muito importante pensar sobre essa primeira ação que seriam os cortes. Claro que muitas coisas são desnecessárias, por exemplo, uma nova máquina, um novo projeto, etc. Mas dizer que todos os funcionário que serão cortados são desnecessários para a empresa, denota uma tremenda falta de planejamento e de gestão.

Espero que esse assunto e este artigo possa ser útil para gestores e funcionários.

Forte abraço.

       Leia também!      
 
 
Sobre a empresa
História
Valores
Missão
Dirigentes
Serviços
Últimos Artigos
Fale Conosco